Abdominoplastia - William Machado
 

Abdominoplastia

abdominoplastia

O que é abdominoplastia?

É o procedimento que, de fato, remove o excesso de gordura e de pele abdominal. Na maioria dos casos, restaura os músculos enfraquecidos ou separados (diastase). Assim, cria um abdômen mais suave e tonificado. Ter um abdômen liso e tonificado é um desejo da maior parte das pessoas. No entanto, às vezes, exercício físico bem como controle de peso não são suficientes para que alcancemos nossos objetivos. Por isso, mesmo indivíduos com peso corporal e proporções normais podem apresentar um abdômen com protrusão, frouxo e flácido. Dessa forma, nestes casos, deve ser realizada a abdominoplastia.

 

Veja também:

 

Vou emagrecer com a abdominoplastia?

O objetivo da abdominoplastia é a melhora do contorno corporal, assim como a redução da flacidez de pele local. No entanto, sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal. Contudo varia de acordo com o volume abdominal original de cada paciente.

A abdominoplastia deixa uma cicatriz muito visível?

A cicatriz resultante de uma abdominoplastia localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos. Assim, se prolonga lateralmente em maior ou menor extensão, de acordo com o volume do abdômen a ser corrigido. Portanto, esta cicatriz é planejada para ficar disfarçada sob as roupas de banho.

Então, em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?

Nos primeiros meses, o abdômen apresenta uma insensibilidade relativa. Além disso, está sujeito a períodos de “inchaço”, que regride espontaneamente. Por isso, no decorrer dos meses, tendo iniciado os exercícios orientados para modelagem, o resultado definitivo começa a surgir. Dessa forma nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 12 meses de pós-operatórios.

Será feito um novo umbigo?

Na grande maioria dos casos, o seu próprio umbigo será transposto e remodelado. Assim, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá, sem dúvida, a mesma evolução da cicatriz inferior. Em alguns pacientes, sobretudo, haverá necessidade da realização de um novo umbigo em situações quando o antigo é esteticamente inadequado.

A dermolipectomia abdominal de fato corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago?

Nem sempre. Pois isto depende do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome). Se ele for do tipo curto, dificilmente será corrigido. Mas sendo do tipo longo, o resultado, sem dúvida, será mais favorável. Além disso, também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste essa área do corpo.

Poderei ter filhos futuramente? O resultado não ficará prejudicado?

Não há contraindicações formais à gestação após a abdominoplastia. No entanto, o resultado estético da cirurgia pode ser comprometido após a gestação sendo aconselhado que tenha todos os filhos programados antes de se submeter a uma abdominoplastia.

Como é o pós-operatório da abdominoplastia? É muito doloroso?

Como qualquer procedimento cirúrgico exige alguns cuidados e restrições que devem ser informadas pelo seu médico. A abdominoplastia é uma cirurgia em que o nível de dor é bem suportável pela maioria das pacientes sendo resolvido com a prescrição de analgésicos comuns.

Existem riscos para esse procedimento?

Assim como qualquer procedimento cirúrgico a abdominoplastia não é isenta de riscos. Portanto, para reduzir as complicações, seu médico fará uma adequada avaliação clínica com exames pré-operatórios, avaliações e planejamento cirúrgico.

Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?

A técnica de anestesia é individualizada para cada paciente podendo-se utilizar anestesia geral ou bloqueios. Assim, o tipo de anestesia a ser utilizada será consenso entre a equipe e o paciente.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

O tempo cirúrgico médio é de 3 horas. Este período poderá ser prolongado, se houver associação com lipoaspiração ou se o caso demandar. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

Qual o período de internação?

Entre 1 a 3 dias (evolução normal).

São utilizados curativos?

Sim. Curativos especiais, trocados pela equipe periodicamente e diariamente pelo paciente em domicílio.

Quando são retirados os pontos?

A maioria dos pontos é feita com fios absorvíveis não sendo necessária retirada. No caso de alguns pontos externos, a retirada poderá ser iniciada em torno do 8o. dia, devendo ser feita de maneira seletiva, nos dias que se seguem. Raramente a retirada total passa de 2 semanas.

Quando poderei tomar banho completo?

Caso não esteja utilizando dreno, 24 horas após a cirurgia. Se forem utilizados drenos, após 3-5 dias.

Vou precisar utilizar cinta e realizar drenagem linfática?

Sim. A drenagem linfática é muito importante no pós-operatório tanto na redução do edema (inchaço) quanto na diminuição de fibrose pós-operatória. A cinta é utilizada no intuito de redução de edema, e facilitar o remodelamento corporal devendo ser utilizada por cerca de 2 meses pós-operatórios.

Quando retornarei a vida normal?

Principalmente durante as 2 semanas deve-se tomar maiores cuidados com relação a postura sendo necessário andar “com o corpo levemente curvado para frente”, com ligeira flexão do tronco. Até um mês de pós-operatório haverá liberação para exercícios leves como caminhadas e após 2 meses para a maioria das atividades.

RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS:

– Comunicar-se com seu médico antes da cirurgia, em caso de gripe, período menstrual, indisposição;

– Internar-se no hospital indicado na guia, obedecendo ao horário de internação;

– Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito fartas, na véspera da cirurgia;

– Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, que eventualmente esteja fazendo uso, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico. Isto inclui também certos diuréticos;
- Programar suas atividades sociais, domésticas ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 3-4 semanas.

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS:

– Evitar esforços por 21 dias;

– Levantar-se tantas vezes quanto lhe for recomendado por ocasião da alta hospitalar, obedecendo aos períodos de permanência sentada, assim como, evitar ao máximo, escadas longas;

– Não se exponha ao sol ou friagem, por um período mínimo de 4 semanas;

– Andar curvada, com ligeira flexão do tronco, e manter passos curtos, por um período de 7 a 14 dias;

– Obedecer à prescrição médica;

– Voltar ao consultório para os curativos subsequentes, nos dias e horários estipulados;

– Provavelmente você estará se sentindo tão bem, a ponto de não lembrar-se de que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levá-la a um esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos;

– Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire com seu cirurgião, e somente com ele, quaisquer dúvidas;

– Em caso de pacientes obesas, poderá ocorrer, após o 8„ dia, a eliminação de certa quantidade de líquido amarelado ou sanguinolento, por um ou mais pontos de cicatriz. Não se preocupe, porque se isto lhe ocorrer não significa complicação. Salvo em casos especiais, alimentação livre, a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas (carnes, leite, ovo) e vitaminas (frutas);

– Aguarde para fazer sua “dieta ou regime de emagrecimento”, após a liberação médica. A antecipação desta conduta por conta própria, poderá determinar consequências difíceis a serem sanadas.

Agende sua consulta: (86) 99829-6475 (clique aqui)