Redução de Mama (Mamoplastia redutora) - William Machado
 

Redução de Mama (Mamoplastia redutora)

redução de mamas

A cirurgia de redução de mama, ou mamoplastia redutora, foi, durante muitos anos, a cirurgia plástica mamária mais realizada no Brasil. Mas, atualmente, o seu número tem se reduzido devido a uma tendência das brasileiras desejarem seios maiores. É indicada, sobretudo, para pacientes com mamas de grande volume. Pois, além da questão estética, podem existir também problemas decorrentes de seu volume como, por exemplo, queixas de dores e redução da autoestima.

 

Veja também:

 

Quando a cirurgia de redução de mama está indicada?

A cirurgia está indicada em pacientes que apresentam mamas com grande volume (hipertrofia mamária). Que tenham, portanto, queixas tanto estéticas (queda na mama, assimetria) quanto funcionais (dor nas costas, postura viciosa, baixa autoestima). Por isso, as técnicas são individualizadas para cada paciente, de acordo com a consistência, o formato e o tamanho das mamas.

Como são as cicatrizes na redução de mama?

Em pacientes nos quais existe pequena e média hipertrofia, consegue-se reduzir, às vezes, utilizando técnicas em “L”. Mas, quando as mamas apresentam hipertrofias maiores, com ptose (queda) acentuada, utiliza-se a cicatriz em forma de “T” invertido. Dessa forma temos uma cicatriz ao redor da aréola, acrescida de uma cicatriz vertical até o sulco mamário. Além disso há outra na horizontal, na região no sulco inframamário.

Qual o tipo de anestesia utilizada?

Pode-se utilizar anestesia geral ou bloqueios (peridural).

Qual a duração da cirurgia?

A duração varia de acordo com a técnica e o tipo de mama, sendo em média 3 a 4 horas de cirurgia.

Qual o período de internação?

Geralmente em torno de 1 dia.

Há necessidade da utilização de drenos?

O uso de drenos não é preconizado para todas as pacientes, mas na maioria dos casos é utilizado com o intuito de retirar secreções acumuladas na região recém-operada.

O pós-operatório é doloroso?

O limiar de dor varia de paciente para paciente, mas, geralmente, a utilização de analgésicos comuns já é, de fato, suficiente.

Como será o tamanho, a forma e a consistência das minhas mamas?

A redução de mama visa reduzir o volume bem como reposicionar a aréola, para restaurar a harmonia corporal e melhorar a ptose (queda). Assim, a consistência final varia de acordo com a predominância do tecido mamário da paciente, se mais glandular ou mais gorduroso.

Em quanto tempo vou ter o resultado definitivo?

O resultado final da forma e consistência é, geralmente, obtido em torno de 6 meses de cirurgia. No entanto, a cicatriz só estará madura, ou com aparência definitiva, depois de 1 ano de pós-operatório.

O resultado permanecerá após uma gravidez?

Com a gestação ocorrem mudanças no parênquima mamário, volume e na forma das mamas. Dessa maneira, altera, na maioria dos casos, o resultado da cirurgia.

A cirurgia de redução de mama deixa cicatrizes?

Assim como em qualquer outra cirurgia plástica, haverá a formação de uma cicatriz. No entanto, com os cuidados técnicos do cirurgião plástico, ficará com o menor tamanho possível, bem posicionada e com ótimo aspecto estético. Geralmente, se obtém uma cicatriz em T invertido. Nesse sentido, o resultado estético final da cicatriz é obtido, em média, com 12 meses, tempo necessário para sua maturação.

Por que algumas pacientes ficam com cicatrizes mais visíveis?

Algumas pacientes possuem uma tendência a desenvolver a cicatriz hipertrófica ou então ao queloide. Isso ocorre devido a uma predisposição genética. Mas alguns cuidados por parte do cirurgião plástico e da paciente podem reduzir a chance de aparecimento dessas cicatrizes. Assim, uma boa avaliação na consulta inicial poderá identificar aquelas pacientes que, sem dúvida, têm maior chance de apresentar tais cicatrizes.

Existe correção para cicatriz hipertrófica e queloide?

Essas cicatrizes podem ser corrigidas com recursos clínicos (corticóide tópico ou intralesional, silicone gel ou em barra, betaterapia), bem como cirúrgicos.

São utilizados curativos?

Sim. Curativos com gazes e micropores que deverão ser trocados diariamente pela paciente e periodicamente pelo médico.

Quando são retirados os pontos?

A maioria dos pontos é absorvível, portanto não é necessária sua retirada. No entanto, alguns pontos que não são absorvíveis são retirados em torno do 8° dia de pós-operatório.

Quando poderei voltar a dirigir?

Em torno de 30 dias de pós-operatório.

Quando posso retornar às atividades físicas?

Os exercícios devem ser iniciados progressivamente. Em primeiro lugar, caminhadas leves após 15 dias. Em seguida, após 20 dias, exercícios que não envolvam braços e tórax. Por fim, após 45 dias, os que envolvem os braços e o tórax.

RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS

– Comunicar-se com seu cirurgião até a véspera da operação, em caso de gripe, indisposição ou antecipação do período menstrual;

– Internar-se no hospital indicado, obedecendo ao horário previamente marcado;

– Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito lautas na véspera da cirurgia;

– Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer de que eventualmente esteja fazendo uso, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico. Isto inclui também certos diuréticos;

– Programe suas atividades sociais, domésticas ou escolares de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 3 a 5 dias.

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

– Evite esforços nos 8 primeiros dias;

– Não movimente os braços em excesso. Obedeça as instruções que lhe serão dadas por ocasião da alta hospitalar, relativas à movimentação dos membros superiores;

– Evite molhar o curativo, até que seja autorizada a fazê-lo;

– Não se exponha ao sol ou friagem, até segunda ordem;

– Siga rigorosamente as prescrições médicas;

– Alimentação normal (salvo casos específicos que receberão a devida orientação), a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas (carnes, leite, ovos) e vitaminas (frutas);

– Voltar ao consultório para curativos subsequentes e controle pós-operatório nos dias e horários estipulados;

– Provavelmente você estará se sentindo tão bem a ponto de esquecer-se que foi operada recentemente. Esta euforia pode levá-la a fazer esforços prematuros, o que determinará certos transtornos;

– Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire com seu cirurgião suas eventuais dúvidas.

Agende sua consulta: (86) 99829-6475 (clique aqui)